Thursday, February 6, 2020

Deveria ser "Merda no ventilador"? A vida e o mundo não acontecem em um movimento linear!

Bom dia superavitários colegas, quase sempre começo a escrever o post de fechamento de patrimônio dizendo que estamos “seguindo o fluxo” e depois fecho dizendo que estamos “seguindo o planejamento” e está dando tudo certo. Mas será que faz muito sentido eu escrever isto? Vi o post no blog do Corey e a discussão que isto criou na blogosfera, gostaria de fazer algumas colocações. Eu e a senhora Sequoia (e logo os sequoinhas também) sempre temos dúvidas sobre o que estamos fazendo. Sempre questionamos se é o certo e se outros caminhos nos levariam a destinos melhores. Será que compensa ter uma vida mais controlada para usufruir de liberdade financeira a posteriori? Acredito que esta dúvida é compartilhada por todos, assim como deve persistir no pensamento dos que tem uma vida diferente, se aquela vida é a melhor opção (pelo menos deveria).

Bem isso aí!

A grande questão é que nossa vida, e nossa percepção dela, é fruto de interações históricas, de eventos que se agregam em nossa genética, em nossos corpos, em nossos pensamentos e consequentemente na nossa tomada de decisão. Conhecemos muito pouco de nós mesmos, não acredito que um dia consiguiremos entender perfeitamente o funcionamento da mente.

Uma análise crítica comtemporânea de um evento passado na nossa vida, da história e das decisões tomadas sempre incluirá um erro gigantesco que é: ao tomar aquela decisão você não tinha as informações que hoje tem. As coisas e as pessoas mudam ao longo do tempo, além disso, a nossa percepção delas muda.

Nós tendemos a nos abraçar em planos, metas e previsões. Tendemos a separar a vida em caixinhas: relacionamento, vida financeira, filhos, profissão etc. Mas tudo isso faz parte de um único e complexo mundo de interações das quais temos pouco controle e que sofre uma gigantesca influência externa. Isso é muito bem colocado no livro “Cisne Negro” do Taleb, quem ainda não leu... faça uma força.


Veja, por exemplo, a meta de patrimônio ou qualquer outro planejamento que estabelecemos no início de cada ano. Quase sempre erramos terrívelmente para baixo ou para cima nas metas. Em 2019 eu e a Sra Sequoia planejamos aportar R$ 95k se tudo desse certo, aportamos R$ 114k (Veja aqui e aqui). No mesmo ano, tinhamos uma meta de patrimônio otimista de R$ 540k em dezembro, fechamos com R$ 699k. Isto ainda ocorreu em uma ano que tivemos mais um filho, não estava planejado. O mesmo pode ser aplicado para metas de leitura de livros, perda de peso e de número de viagens ou trabalho. Se tudo correr bem e você não for atingido por nenhum Cisne Negro, mesmo assim você vai errar no planejamento de 1 mísero ano (isto por que peso é uma daquelas variáveis que estão menos sugeitas a Cisnes Negros, leia Taleb para saber).

Concorda que somos ruins em planejar 1 mísero ano? Se sim, então deve concordar que sempre devemos estar ajustando as velas, fazer ajustes é natural. Qual o problema se você com mais informações disponíveis resolve ao invés de se aposentar precocemente, continuar a trabalhar? Se isso faz sentido para a sua vida naquele momento, desce o cacete! Mas isso não significa que fará sentido para o resto da sua vida, assim como não significa que fará sentido para os outros.

          Temos que estar constantemente atentos e fazendo mudanças. Temos diversos casos assim na blogosfera. Veja o Soulsurfer que decidiu abrir mão de um emprego público top (com salário mais que R$ 30 km status, previsibilidade e estabilidade) para fazer o que fazia mais sentido na vida dele naquele momento. Olhe também o Frugal Simples, que com um patrimônio de respeito na bolsa (mais de R$ 1 milho grande) e com uma atividade com ótima remuneração, decidiu vender tudo e ainda adquirir dívidas para empreender, naquele momento fazia mais sentido para a vida dele.

          No nosso caso, recentemente temos discutido muito em relação a uma mudança brusca de vida, também. Se isso acontecer, vou abrir mão de um concurso para me dedicar a outra atividade. Se fizer sentido em nossas vidas no momento...

          Agora, o que não é possível é saber qual seria o outro caminho perseguido e se ele seria melhor ou pior. Não dá para ficar reclamando, dizendo que deveria ter escolhido outro caminho. Aquele que você escolheu era o melhor para você naquele momento, com as informações que você tinha. A análise retrospectiva não funciona, os dados são diferentes. É como se reclamar duas vezes por semana por não ter jogado aqueles números sorteados na última Mega-Sena.

          Assim, colegas, vamos vivendo nossas vidas. Buscando pensar sobre nossas decisões de forma a atender melhor nossos anceios no presente. Tentando evitar a ansiedade com excesso de futuro ou a depressão com excesso de passado. Tentando viver uma vida melhor na aleatoriedade do mundo. Não conseguimos acertar com o mínimo de precisão como será 1 mísero ano, quiçá uma vida.

Abraço

11 comments:

  1. O que é chato é quando generalizam tudo, devidamente mostrado por você que cada um é cada um. Tentar atingir um estilo internacionalmente consolidado apenas porque não está funcionando ou não faz sentido pra você também não faz sentido algum

    ReplyDelete
  2. Texto perfeito pro meu momento atual. Estava justamente colocando na balança decisões grandes e que podem ter sido erradas. Mas pra aquele momento, era o correto.

    Sério, timing perfeito de leitura do seu texto. Obrigado.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Muito legal seu retorno AF. Isto que você está passando é normal conosco também, por isso compartilhei este entendimento. Volta e meia acontece a mesma coisa comigo, estou pensando em algo e o pessoal da blogosfera faz um post sobre.

      Abraço

      Delete
  3. Obrigado pela citação Sequoia.
    Eu tive um 2015-2016 muito difícil de muitas notícias ruins, calotes, perdas de contratos, dias de serviço perdidos enfim, a "crise" me pegou e me deixou muito preocupado. Ninguém sabia se a Dilma ia sair, junto com o PT.

    Desemprego e remuneração tinham piorado na época. Decidi vender 90% do que eu tinha na bolsa pois peguei um mercado de lado desde 2013 e foi bem frustrante ver o bolo crescer apenas com os meus aportes e minha carteira rendeu -15% em 2015. Não foi fácil. Apesar de eu ter estudado muito bolsa, eu era relativamente jovem e iniciante, praticamente já entrei na crise e num mercado lateralizado, mas serviu para minha experiência. Já voltei pra bolsa com os lucros do negócio e nunca mais vou sair.

    O interessante é que já estou num ótimo momento novamente na minha profissão, ganhando bem melhor, em lugares bem melhores e com contratos melhores na mão, além do mais, a perspectiva de aumento, de receber em dia e de melhoras na economia no geral estão bem animadoras. A loja fica como um investimento financeiro de alto yield e também como uma segunda fonte de renda, além do Hedge proporcionado pelo imóvel contra a volatilidade da RV, dando uma segurada no meu patrimônio total. Talvez nos próximos dois anos eu possa vender o negócio e alugar o imóvel, estou avaliando essa possibilidade, assim volto apenas pra bolsa e pra minha profissão.

    O livro citado nesse post comprei essa semana na Saraiva, junto com o livro Na Raça, que conta a história da cara da XP.

    Abraço!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Frugal, o negócio é sempre estar atento e ajustar as velas de acordo com os ventos. Imagina como seria ruim se a corrida já tivesse chegado ao fim? Qual seria a graça de uma vida sem mudanças... Parabéns pela coragem em fazer o que é necessário fazer, vocês são exemplos para nós e vemos isto em todos os seus posts.

      Abraço

      Delete
  4. Beleza Sequoia! Eu me arrependo de ter trocado um emprego municipal concursado por esse atual de fiscal estadual. Pensei que uma carreira fiscal seria melhor remunerada que uma função técnica na prefeitura, ledo engano, estaria melhor lá, ganhando praticamente o mesmo salário com estresse menor e uma felicidade maior no trabalho. a vida é assim, um eterno trevo com duas possibilidades ou mais, algumas vezes escolhemos a errada...

    ReplyDelete
    Replies
    1. Beto, é muito difícil até avaliar se foi a decisão errada, já que o outro caminho não foi vivido. Quem sabe como estaria? O negócio é não ficar chorando as magoas.

      Abraço

      Delete
  5. A analise de fazer o melhor pra nos com as informações e as emoções que temos no momento é a chave central de toda discussão! Belo post

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sonhador, este é o ponto realmente. Obrigado pela visita.

      Abraço

      Delete
  6. Halo, sou Helena Julio, do Equador, quero falar bem sobre o senhor Benjamin sobre esse assunto. me dá apoio financeiro quando todos os bancos da minha cidade recusaram meu pedido de concessão de um empréstimo de 500.000,00 USD, eu tentei tudo o que pude para obter um empréstimo de meus bancos aqui no Equador, mas todos eles me recusaram porque meu crédito era baixo, mas Com graça de Deus, conheci o Sr. Benjamin, por isso decidi tentar solicitar o empréstimo. com a vontade de Deus, eles me concedem um empréstimo de 500.000,00 USD o pedido de empréstimo que meus bancos aqui no Equador me recusaram, foi realmente incrível fazer negócios com eles e meus negócios estão indo bem agora. E-mail / WhatsApp Entre em contato se desejar aplicar um empréstimo a eles. Lfdsloans@outlook.comWhatsApp Contact: + 1-989-394-3740.

    ReplyDelete