Thursday, April 2, 2020

R$ 552.857,88 (-19,52%) - Maior queda desde Dezembro de 2013!


Boa tarde, superavitários colegas. Estamos fechando o terceiro mês do ano de 2020, que ano meus amigos! Que Cisne Negro! Taleb realmente tem razão. Essa é a segunda grande crise (e queda na bolsa) pela qual estamos passando. Já investíamos em 2008 quando os bancos todos iriam quebrar. Cada crise é diferente da outra, esta é uma crise de saúde pública que com a velocidade do compartilhamento de informações associado às famigeradas “Fake News” terá um grande impacto no nosso modo de viver e consequentemente na economia. Devemos ser afetados por redução de salário, redução de dividendos e/ou taxação de dividendos. O importante é seguir remando, como bem disse o Surfista Calhorda em seu post de fechamento. É um ótimo momento para compras, mas isso não significa que você deve gastar sua reserva de emergência e nem zerar sua renda fixa. No nosso caso nós reduzimos o objetivo em renda fixa temporariamente para 15%, que somados aos aportes e à queda de ações e FIIs vai nos permitir aumentar significativamente a posição nos ativos durante este período. Depois recompomos a renda fixa para os 20% tradicionais. Vamos lá: 

Metas financeiras para 2020:

Planejado ao final de 2020
Atual
Concluído
Aporte
R$ 80k
R$ 17,2 k
21%
Patrimônio
R$ 850k
R$ 552 k
65%
Renda passiva
R$ 33k
R$ 7,7 k
23%

Vamos aos billions...

O nosso patrimônio nesse mês fechou em R$ 552.857,88. Tivemos uma desvalorização de -19,52% nos ativos em relação ao fechamento anterior. A pior desvalorização desde Dezembro de 2013. O Ibov desvalorizou (-28,37%) e o IFIX se desvalorizou (-15,85%). Conseguimos aportar R$ 4.743,12 de dinheiro novo esse mês, que somados aos reinvestimentos e desvalorização fez a nossa carteira retroceder em impressionantes -R$ 129.373,80 (Três carros populares) ou -18,96%.
Obs.: Teve momentos durante o mês que a carteira estava com o valor menor do que 500 k. Porém, devido a diversificação tivemos um resultado bem melhor que o índice.

Histórico de Aportes:



Movimentação no mês:

Vendas: Tudo de FI-DI e tudo de FIIP11b.

Compras: 106 HGRU11; 23 ABCP11; 32 VISC11; 300 MDIA3; 800 BBDC3; 200 ITUB3; 200 LREN3; 100 RENT3; 600 LCAM3 e 400 MOVI3.

Se considerar somente as ações aumentamos em média 26% nossa posição no mês de Março. BBDC3 foi o aumento de posição mais relevante (87%). Aproveitamos uma janela de oportunidade nas variações de mercado e trocamos tudo o que tinhamos de FIIP11b por HGRU11. Seguimos acompanhando nos próximos meses.

Patrimônio financeiro:


Posição Geral Brasil:


Posição Geral US:


Posição por tipo de investimento:


Posição na RF:


Posição nos FIIs:


Posição nos REITs:


Posição nas ações:


Posição nas stocks:


Rentabilidade:


Considerações mensais:

A luta diária continua, o momento é de tensão nos mercados e nas vidas. Precisamos cuidar de nossa saúde e da saúde de nossos amigos e familiares. Estamos de olho, acompanhando a evolução do cenário geral. Em relação aos investimentos no exterior, ainda estamos em fase de aprendizado. O primeiro aporte foi realizado em dezembro de 2019, cerca de $ 2,9 k doletas a R$ 4,03. O patrimônio em dólar chegou a bater $ 3,1 k doleta e hoje está em $ 2,2 k. Porém o dólar está em R$ 5,2, isso faz com que em reais estejamos negativos em cerca de R$ 1 k. Interessante, a queda no mercado gera elevação do dólar que acaba sendo um seguro da carteira em reais. Estamos vendo na prática a importância em ter parte do patrimônio em moeda forte. No Brasil, continuamos acreditando em todos os ativos da carteira. As locadoras de veículos devem sofrer, mas todas têm caixa para pagar as dívidas de um ano e já estão se mobilizando para aumentar a liquidez neste período. Vão superar. Então seguimos o plano, aportando mensalmente e aguardando o tão sonhado milho grande.

É isso aí! Rumo ao 1 milho grande!

Abraço a todos.

11 comments:

  1. Legal. Sua diversificação minimizou uma queda expressiva como a do Ibovespa. Questão do investimento no exterior o que ainda me fez não investir é a questão do imposto de renda.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Beto, isso é verdade. Cara... lá o imposto sobre a renda nós pagamos 30%. Com os preços atuais, minha carteira de Reits tem um yield maior que a de FIIs. Além disso, lá tem muito mais opções e os rendimentos são em dólar e entregam elevação ao longo do tempo, poucos FIIs fazem isso. Mas continuo acreditando nos FIIs, os Reits são bem diferentes.

      Abraço

      Delete
  2. E nossa moeda só vai ladeira abaixo... Um país tão grande com uma economia tão fraca. Quando decola não passa de um voo de galinha :(
    Wow, sua carteira segurou bem nessa queda, mesmo com um percentual de 15% em RF.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Garota, o Hedge em dólar mostrou-se muito efetivo neste momento de queda no mercado. Para a nossa carteira não deu muito efeito, pois temos um percentual muito pequeno ainda no exterior.

      Abraço

      Delete
  3. Sejam fortes. As compras foram boas.
    A crise vai passar.
    Evitem vender ações.
    Segurem firme!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Frugal, isso aí. Não venderemos, foco no LP. Nós passamos pela crise de 2008 e pelas outras pequenas quedas ao longo do tempo. Vamos superar esta também. Momento de aumentar a participação.

      Valeu.

      Delete
  4. Opa, Sequoia! Garantiu o meio milho, pelo menos. Mesmo com a perda de 3 carros populares...kkk(essa foi a melhor!)
    Concordo com você...o foco agora é na nossa saúde!
    Abraço

    ReplyDelete
    Replies
    1. Professor, com esta marcação a mercado pode parecer que nós ficamos muito preocupados com a oscilação. Na verdade ficamos focados nos resultados de nossos ativos, no longo prazo. Mas é lógico que a preocupação com o futuro dos ativos toma parte de nosso tempo durante a crise. Seguimos em frente e realmente, foco na saúde e no que importa. Sempre!

      Abraço

      Delete
  5. Interessante sua diversificação no exterior. Ainda não comecei a minha. Fiquei observando o dólar, achando caro (imagina agora). Mas vou começar um dia.

    Também estou aproveitando alguns preços de ações muito descontadas. Acredito que esse epidemia vai ter um fim, não muito distante. Empresas boas, que fizeram a lição de casa direitinho com relação a caixa e dívida, sobreviverão e continuarão boas.

    Reserva de emergência não é para ser torrada em aportes. Mas de vez em quando bate a tentação, rs... Não pode. É bom ter uma reserva de oportunidades, geralmente em renda fixa ou fundo DI, ambos com liquidez imediata.

    Vamos em frente, mas dentro de casa.

    Abraço.

    ReplyDelete
  6. ID, isso mesmo! Nós tinhamos parte significativa da RF em fundos DI com liquidez diária. Foi ótimo poder utilizar eles para aumentar em 26% nossa participação, em média, nos ativos de nossa carteira. Ainda temos uma pólvora guardada, fora da reserva de emergência, que podemos utilizar caso caia mais.

    Abraço

    ReplyDelete
  7. Halo, sou Helena Julio, do Equador, quero falar bem sobre o senhor Benjamin sobre esse assunto. me dá apoio financeiro quando todos os bancos da minha cidade recusaram meu pedido de concessão de um empréstimo de 500.000,00 USD, eu tentei tudo o que pude para obter um empréstimo de meus bancos aqui no Equador, mas todos eles me recusaram porque meu crédito era baixo, mas Com graça de Deus, conheci o Sr. Benjamin, por isso decidi tentar solicitar o empréstimo. com a vontade de Deus, eles me concedem um empréstimo de 500.000,00 USD o pedido de empréstimo que meus bancos aqui no Equador me recusaram, foi realmente incrível fazer negócios com eles e meus negócios estão indo bem agora. E-mail / WhatsApp Entre em contato se desejar aplicar um empréstimo a eles. Lfdsloans@outlook.comWhatsApp Contact: + 1-989-394-3740.

    ReplyDelete